GENEALOGIA DOS DISPOSITIVOS INTELECTUAIS DE ENGAJAMENTO – CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO (maio-junho/17)

Nilton Ken Ota (USP/Univ. Paris Nanterre)

O ciclo contestatório mundial iniciado no final da década de 1960 fez da França o epicentro de uma nova gramática política, a um só tempo, massificada culturalmente e inscrita na conduta individual, em detrimento dos modos tradicionais de representação de classe e seus circuitos de recrutamento e formação militante. Sob o declínio do Partido Comunista Francês, as antigas figuras hegemônicas do engajamento entraram em deriva, ocasião propícia para alianças e pontos de tangência entre intelectuais e forças políticas forjadas pelas sedições nas ruas e instituições. A partir de maio de 68 este encontro não deixará de gerar consequências, entre as quais, a invenção de instrumentos específicos de incitação da subjetividade militante, processo amplo e heterogêneo no interior do qual emergiram os dispositivos intelectuais de engajamento.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.