Impermanências na Geopolítica do Cáucaso Sul (13 nov/20)

Sessão 1 
Seminário Metamorfoses do neoliberalismo e emergências críticas

Mobilizando conceitos de fronteira utilizados ao longo da história nas relações tempo-espaço, pretende-se demonstrar que o surgimento de diversos povos e identidades culturais no Cáucaso sul e seu entorno não necessariamente coincide com a constituição de um aparato estatal ou com aspirações nacionais, especialmente ao longo do século XX. São impermanências que se acumulam dentro de uma ordem capitalista, em que a instabilidade é a tônica, tanto no campo econômico como no geopolítico. Captar essas impermanências colabora na compreensão dos conflitos pela visão ocidental, repleta de estereótipos e reducionismo.

Palestrante
James Onnig (Facamp)
Moderadora
Márcia Cunha (IEA/USP)


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.